Adsense

Seguidores


DESCOBERTA DO TRICO

7
CURIOSIDADES

As primeiras peças serviram aos faraós e depois foi a vez dos pescadores. O fato é que a criatividade entre lãs e agulhas tornou o tricot universal, sofisticado e, ao mesmo tempo, disponível a todas as classes sociais

Não se sabe ao certo quando exatamente o tricot foi inventado. Historiadores encontraram tecidos das antigas culturas peruanas de aproximadamente 600 a.C. Foi descoberto em tumbas egípcias, meias para sandálias e adornos de pescoço datadas do século IV a.C. Os Faraós também usavam esses tecidos como um privilégio e, por isso, levavam aos seus túmulos com o objetivo de agradar aos deuses. Exames mostram que os tecidos não são feitos com um pedaço de fio contínuo, mas sim com pedaços separados de linha, unidos com alças, com uma agulha de costura. Eles utilizavam ossos e madeira para o entrelaçamento das fibras. Esses equipamentos poderiam se assemelhar ao que conhecemos hoje como agulhas.

As primeiras peças de tricô de que se tem notícia partem do Egito em 1.200 d.C. Baseado nisso acredita-se que o tricot foi popularizado no mediterrâneo e se espalhou pela Europa e, assim, com o tempo, ganhou o mundo. Embora não haja evidência que comprove como essa arte se espalhou do Oriente Médio à Europa, possivelmente deve ter sido introduzida como artesanato por soldados, marinheiros e comerciantes do Oriente.


A produção do tricot
Inicialmente era responsabilidade das mulheres a produção dos fios utilizando a roca de fiar, mas as peças eram produzidas pelos homens. Nessa época o tricot era feito em círculo, isso porque o trabalho em círculo requer somente um dos pontos básicos: o ponto meia. Uma curiosidade: até hoje as mulheres das ilhas Shetlands trabalham dessa forma, só que utilizam cinco agulhas. Os tricots mais famosos vêm das Ilhas Britânicas (Ilha Jersey, Fair, Ilhas Aran, Ilhas Shetland). As ilhas ficam bem próximas, apesar disso cada população desenvolveu sua característica própria e marcante de tricotar.

Na Europa...
O tricot aperfeiçoou a técnica e ganhou força na região do Reino Unido.

Na Inglaterra, o tricotar fazia parte do cotidiano das mulheres que, passavam seus dias, a trançar fios, produzindo principalmente meias grossas para os homens que trabalhavam no campo em épocas de muito frio. Os ingleses tomaram a técnica como algo artístico e elegante. Tanto é verdade que as peças foram adotadas pela aristocracia britânica em golas e adornos de pescoço.

Já na Irlanda, grande ilha localizada a oeste da Inglaterra, o tricot situou-se nas Ilhas Aran (Aran Islands) desde 1.700 d.C. Até hoje ali se produz um dos mais belos e característicos tipos de tricot conhecidos, o "Fisherman Gansey", ou seja, o "suéter dos pescadores". Ganhou esse nome porque as peças, além de utilizadas, eram produzidas pelos próprios pescadores que as utilizam para protegerem-se do frio quando enfrentavam o mar na sua pesca. E tem mais: Os desenhos nunca foram aleatórios. Cada família de pescadores tinha seu próprio desenho que servia para identificá-los. Os símbolos revelavam o seu dia a dia. Por exemplo: as cordas (tranças) e os nós representavam a cordalha das embarcações; as flores, folhas os faziam lembrar as ilhas e da família e os ziguezagues simbolizavam o caminho de casa. Os suéteres também passavam por gerações como herança de família.

Em 1891 a população havia aumentado muito e seus moradores precisavam incrementar a renda, por isso, o governo local incentivou os homens a ensinar as mulheres que, como permaneciam na ilha, tinham mais tempo disponível. O ato acabou por transformar a ilha numa indústria considerável e o tricot produzido em Aran era exportado para a Irlanda, onde ganhou fama e propiciou bons rendimentos à população. Até hoje a ilha sobrevive da venda dos famosos suéteres, mas, claro que atualmente as peças são feitas à máquina e não seguem o formato circular, mas a beleza e elegância continuam as mesmas.




Popularização do tricot
Somente no século XIX é que foi inventada a máquina de tricot. Daí foi um passo para a popularização que teve início na Primeira Guerra Mundial. As mulheres tricotavam peças para as tropas. Algumas ficaram famosas como os gorros com abertura nas orelhas para os soldados usarem o telefone, outros para proteger do frio, além de peças militares femininas e as balaclava. Nos anos de 1950 havia grande variedade de cores e tipos de lã o que tornou o tricot moderno e versátil. O twinset foi o modelo mais popular da época. Já nos anos de 1970 houve uma baixa temporária na moda.
O tricot no Brasil
No Brasil o tricot ganhou força na cidade de Monte Sião que, até os dias atuais, ainda é conhecida por esse motivo. Tudo começou no final da década de 1960, quando mulheres montessionenses produziam peças de tricô artesanalmente para vendê-las na praça pública, já que a região possuía grande movimento turístico, por fazer parte da região, hoje conhecida como "circuito das águas". Com o passar dos anos e o aumento da demanda os pequenos produtores começaram a se organizar e então teve início a industrialização da cidade. Hoje toda aquela região é conhecida como circuito das malhas.

http://www.revistadobomretiro.com.br/80.php




7 comentários:

Fabi disse...

Ola vim retribuir a sua visita no meu Balaio...
Super legal o post sobre trico... parabens...
ja estou lhe seguindo tbem...
tenha uma otima semana

Silvana - Ateliê LMJ disse...

Oi linda,
Vim retribuir a sua visita e conhecer o seu cantinho...
Amei tudo por aqui e adorei o post sobre trico...
Tbm estou te seguindo...

Bjinhos
Tenha uma linda semana!!!

Bia Cheles disse...

Ola Ana vim retribuir o carinho e ja estou te seguindo adorei seu blog Bjsss!!!

Bianca Motta disse...

AMEI SABER MAIS DA HISTORIA DO TRICO !!!

ola vim retribuir sua visita e conhecer seu cantinho que eu adorei !!
sou BU 2683

mil bjuxx

Bianca Motta disse...

www.biluartesanato.blogspot.com.br

VANDINHA disse...

OI Ana vim agradecer sua visita e lhe desejar boas vindas ao meu cantinho. Fique a vontade, volte sempre. Gostei muito do seu blog tb, é bem diversificado. Estou te seguindo. Abraços e uma semana abençoada.

Abigail Ferraz disse...

Bom dia Ana Cristina!
Passei para agradecer a visitinha e tive a grata surpresa de conhecer um blog tão interessante como o seu. Adorei o post, sempre é bom conhecer a história. Agora vou acompanhar suas novidades.
Tenha um lindo dia.
Um abraço,
Abigail (Cantinho da Biga)

Postar um comentário

×÷·.·´¯`·)»Cantinho by Giuly's«(·´¯`·.·÷×
×÷·.·´¯`·)»Obrigada pelo Comentário!«(·´¯`·.·÷×
×÷·.·´¯`·)»Logo vou responder .. Bjs a todos!«(·´¯`·.·÷×
×÷·.·´¯`·)»Cantinho by Giuly's«(·´¯`·.·÷×

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...